Alergia a proteína do leite X intolerância a lactose

Depois do sustão que passamos com a Bia ela passou por vários exames e descobrimos que a picolina é alergica a proteína do leite. Por associação de sintomas, o Lorenzo também é. E como desde que tiramos o leite da dieta dele, ele tem apresentado melhoras, não vou submetê-los a exames para confirmar.

O que mudou aqui em casa desde a descoberta? As crianças ficaram sem leite? NÃO! Eles ainda tomam leite, só não tomam leite de origem animal, somente leites de origem vegetal. Existe diversas opções muito nutritivas e bem gostosas e muitas substituições que podem ser feitas nas receitas cotidianas que garantem que os baixinhos não irão sentir falta de nada.

Já fazem vários meses que havíamos trocado em casa o leite da Bia por leite sem lactose e sentimos algumas melhoras. Porém o quadro dela na UTI se agravou em parte por causa da alergia a proteína do leite. Aí que fomos pesquisar e entender o que afinal é um e o que é o outro.

Para resumir, os intolerantes a lactose tem problema com a lactase, que é o açúcar natural do leite. Nesses casos, os principais sintomas são desconfortos estomacais, gases, diarreias e até vômitos. O corpo tem dificuldade de digerir produtos lácteos e isso causa desconfortos digestivos em sua maioria. Se você se sente estufado ou com mau estar geralmente depois de refeições com massas (pães, bolos, etc), alimentos com molhos cremosos (que geralmente levam creme de leite) ou com queijo, etc, procure um médico. Existem exames que podem detectar a intolerância a lactose e você pode ter instruções que irão melhorar sua qualidade de vida. Existem vários produtos no mercado hoje em dia que contém 0% de lactose.

Por outro lado, os alérgicos a proteína do leite de vaca (geralmente ao leite animal em geral, leite de cabra, leite de búfala, etc), conhecida como APLV (alergia a proteina do leite de vaca) não devem consumir nenhum tipo de leite animal ou qualquer derivado do mesmo. Isso inclui queijo, leite condensado, creme de leite, manteiga, margarina, iogurtes, etc.  A APLV acontece quando o sistema imunológico reage a proteínas que estão presentes nos alimentos, por considerá-las componentes estranhos ao corpo.

Entre os mais comuns, destacamos os de ordem digestiva, a exemplo a dificuldade para engolir, recusa alimentar, vômitos, cólicas intensas, diarreia, intestino preso e sangue nas fezes. Outros sinais frequentes são os cutâneos (de pele), que incluem inchaço nos lábios ou pálpebras, coceira na pele, urticária e dermatite atópica. Além deles, os problemas respiratórios também costumam fazer parte dos sintomas, como asma, inchaço no peito, tosse, coriza e até pneumonia.

Existem diversos exames que podem diagnosticar essa alergia. Alguns laboratoriais outros realizados cutaneamente com testes diretamente na pele. Eles podem definir também a intensidade da alergia. Tem crianças que de ingerir um laticínio incham e ficam impossibilitados de respirar, são alergias mais agressivas, outros só sentem alguns desconfortos digestivos. Mas independente da intensidade, é importante mudar a dieta de quem padece da alergia e se possível de todos da casa, assim evita-se o contágio do alimento com resquícios de leite. Uma vantagem, é que depois de muita polêmica nos últimos anos, hoje em dia é lei que as empresas alimentícias coloquem nas embalagens dos produtos se os mesmos contém produtos alergênicos e quais deles. Sempre antes de comprar algum produto alimentício novo, procure nos ingredientes se o mesmo não leva leite ou não tem resquícios de leite (quando a receita do produto não leva leite, mas ele é processado em equipamento que processam outro alimento que sim o leva e pode deixar rastros alí no equipamento que passará para o alimento).

Algum tempo atrás fizemos um post falando sobre diversas opções de leites vegetais, vale a pena conferir clicando aqui.

Claro que agora esse assunto será recorrente aqui no blog já que nossas receitas mudam, nossos hábitos mudam e o blog vai acompanhar toda essa mudança. Espero que esse post tenha ajudado um pouco a tirar algumas dúvidas e se você tem alguma dica ou dúvida, deixe aí nos comentários para conversarmos mais a respeito! 😉

 

Anúncios

Um comentário sobre “Alergia a proteína do leite X intolerância a lactose

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s